Como a gestão de pessoas é determinante no destino do seu negócio

A gestão de pessoas, também conhecida como gestão de recursos humanos, engloba as tarefas de recrutamento, gerenciamento e fornecimento de apoio e orientação contínuos para os funcionários de uma organização.

Nos últimos anos, ela tem se tornado muito discutida em empresas de todos os portes e nos mais variados segmentos do mercado. Sobretudo porque os líderes estão entendendo que a maneira como lidam com seus funcionários pode definir o futuro dos seus negócios.

Sobre isso vamos refletir neste artigo. Continue lendo para entender por que melhorar a gestão de pessoas pode potencializar seus resultados!

O desafio da gestão de pessoas

Ao gerenciar as pessoas dentro de uma organização, os líderes devem se concentrar em contratar os profissionais certos e, em seguida, aproveitar ao máximo deles.

Tirar o máximo proveito de um funcionário significa que a empresa possui políticas e práticas consistentes para fornecer a seus funcionários treinamento e desenvolvimento adequados. Eles são envolvidos como "parceiros" no negócio.

Provavelmente, a tarefa mais importante que um gerente enfrentará ao lidar com as pessoas sob sua direção é a de engajá-las na estratégia empresarial. Para isso, ele precisará “desbloquear” o potencial delas.

Isso porque quando os talentos não são canalizados corretamente, os comportamentos podem comprometer seriamente o desempenho pessoal e em equipe. Alguns dos papéis que um empregado que não está usando todo o seu potencial pode assumir são: procrastinador, desanimado, manipulador, pouco produtivo e por aí vai.

A gestão de pessoas é o futuro do negócio

A maioria das empresas coloca os clientes em primeiro lugar, enquanto os funcionários são apenas secundários. Essa é uma prática tão antiga que está até enraizada no senso comum, mas, cada vez mais, as empresas mais inovadoras e lucrativas têm percebido que não é bem isso que funciona.

É importante ter em mente que os colaboradores são fundamentais para o futuro do negócio. Eles são seus melhores embaixadores.

Se as pessoas que constroem e mantém a operação ativa forem vistas apenas como meios para um fim, nunca será possível obter sua lealdade.

E isso é especialmente importante para as novas gerações que estão chegando agora ao mercado de trabalho: os nascidos a partir dos anos 1990; que veem experiências de colaboração, comunicação de mão dupla e integração como princípios fundamentais.

Para se ter uma ideia, um estudo da Deloitte sobre a geração Millenials aponta que 43% deles pretendem mudar de emprego nos próximos dois anos. Boa parte dessa decisão está ancorada no sentimento de não pertencimento ou de pouca importância para os empregadores.

Nesse movimento, é fundamental trabalhar para reter os melhores talentos. E isso só se faz com uma cultura de valorização das pessoas; cultura essa que vai além do salário, tem a ver com uma liderança de mais parceria e colaboratividade, com senso de equipe, com autonomia e responsabilidades na medida certa.

Uma boa gestão de pessoas hoje é aquela onde os profissionais não são vistos como robôs no dia a dia laboral — até porque a robotização das rotinas empresariais é crescente e, portanto, os trabalhadores precisam sentir que são realmente tratados como humanos.

O que você tem feito para valorizar seus colaboradores? O que achou da reflexão sobre gestão de pessoas que trouxemos neste texto? Deixe seu comentário!