Google anuncia ajuste nos preços do G Suite pela primeira vez!

O Google trabalhou incansavelmente para alcançar a sua posição entre as 5 maiores empresas do mundo! Todos nós pudemos assistir o seu crescimento nos últimos 20 anos e observar como algumas de suas grandes inovações tecnológicas transformaram o mundo.

Nos últimos dias, David Thacker, vice-presidente de gerenciamento de produtos, anunciou ajustes nos preços de um dos seus produtos: o G Suite. Ele pontuou que a companhia vem praticando a mesma tabela de preços desde que a plataforma foi lançada, há dez anos, e contou o por que da necessidade da mudança.

Continue lendo para entender quais foram as principais disrupções trazidas pela empresa fundada por Larry Page e Sergey Brin e também ter detalhes dos novos preços praticados no G Suite!

Uma breve história do Google

Em 1995, dois estudantes de ciência da computação da Universidade de Stanford, Larry Page e Sergey Brin, começaram a trabalhar em um programa de computador chamado BackRub — um mecanismo de busca que alavancou a análise de backlinks para rastrear e registrar dados na Internet.

A joia da coroa do BackRub era um sistema de coleta de dados conhecido como PageRank, que atribuía a importância do ranking de um site contando o número de páginas, que misturava a relevância dessas páginas e as conectava à página web original.

A dupla até então, utilizava peças de computador e estourou seus cartões de crédito antes que Andy Bechtolsheim, cofundador da Sun Microsystems, desse um cheque de 100 mil dólares. Bechtolsheim aceitou investir imediatamente nos estudantes depois de ver uma demonstração prévia de produtos pensados por eles na varanda da casa de um professor de Stanford.

Logo após esse primeiro investimento, mais dinheiro começou a fluir. O fundador da Amazon, Jeff Bezos, foi também um dos primeiros investidores, permitindo que o Google começasse a subir ao topo da pirâmide dos mecanismos de busca na internet, com o motor de busca oficialmente lançado em 1999.

O primeiro escritório da empresa recém criada foi aberto em Menlo Park, Califórnia em uma garagem de propriedade de Susan Wojcicki, um dos primeiros membros da equipe e que mais tarde se tornou diretora executiva da companhia.

Para complementar a ideia de sucesso dos fundadores estudantes, a marca ganhou um nome criativo: Google. O neologismo do nome é derivado da palavra "googol" — termo para o número um, seguido por 100 zeros. De acordo com a história oficial, a dupla viu o termo  como uma ótima maneira de resumir a árdua tarefa de coletar informações sobre tudo na internet — o que desde então se tornou a missão da empresa.

Como o Google evoluiu — dos primeiros produtos ao G Suite

Nos anos seguintes, o Google forjou um caminho de crescimento constante, contratando engenheiros, cientistas da computação, profissionais de vendas, pessoal administrativo e de marketing e atualizando seu escritório montado na garagem para uma nova sede localizada em Mountain View, Califórnia — hoje conhecida como "The Googleplex".

Em 2002, o Google conquistou o ouro com a introdução do AdWords, sua plataforma de publicidade de terceiros e pagamento por clique. Logo depois, lançou várias outras iniciativas importantes: o Google AdSense (2003), um produto que permitia às empresas se conectarem com anunciantes globais com o clique de um botão; o Gmail, por exemplo, foi lançado no Dia da Mentira em 2004.

Entre tantas criações e aquisições, outros importantes lançamentos aconteceram nos anos seguintes:

  • Google Maps (2005);
  • YouTube (2005);
  • Calendário Google (2006);
  • Google Android (2007);
  • Google Chrome (2008);
  • Google Voice (2009);
  • Google Labs (em 2012);

Nos últimos 10 anos, o Google consolidou-se entre as chamadas big techs, que são as megas corporações americanas das áreas de TI e Internet (no mesmo patamar que Facebook, Apple, Microsoft, entre outras).

Hoje, a companhia continua o que chama de "busca implacável por melhores respostas" como sua principal filosofia de negócios.

A empresa também continua a desenvolver sua linha de produtos e serviços, e em 2015, remodelou sua estrutura de negócios com a empresa-mãe Alphabet, que agora administra o Google e sua ampla presença com escritórios em 50 países em todo o mundo.

Além de sua atuação com usuários finais/individuais, a companhia lançou um mix de produtos e serviços para empresas; portfólio este que não para de crescer. O Google G Suite é um dos exemplos mais vitoriosos dessa empreitada.  

Ao contrário de alguns concorrentes que estão satisfeitos em lançar atualizações de aplicativos com pequenas alterações em recursos ou adições, o Google tem planos maiores. Inicialmente, o G Suite se concentrou em alguns aplicativos principais, como o famoso Google Docs e o Google Agenda, mas se transformou em mais aplicativos e recursos ao longo do tempo.

Como descreve a ComputerWorld, uma das principais publicações que cobrem o ramo da TI, ”o G Suite adicionou diversas outras ferramentas, incluindo uma ferramenta de videoconferência (Hangouts Meet); mensagens da equipe (Bate-papo do Hangouts); e pesquisa corporativa (Cloud Search — disponível nas versões Business e Enterprise)”.

Nesse movimento de inovação e ajustes (e antecipação em muitos casos) às necessidades das organizações, o Google acumulou quatro milhões de empresas que confiaram no pacote G Suite até 2018. Esse número de clientes ativos simboliza o  crescimento no mercado corporativo e sinaliza que os negócios do Google estão escalando com uma rapidez impressionante.

Google anuncia reajuste de preços do G Suite pela primeira vez em uma década

Recentemente, a companhia anunciou um ajuste nos valores que pratica para o G Suite, nas versões Basic e Business.

“Nos últimos dez anos, o G Suite cresceu para oferecer mais ferramentas, funcionalidade e valor para ajudar as empresas a transformar sua maneira de trabalhar. A única coisa que não mudou ao longo deste tempo foi o preço”, justificou David Thacker, vice-presidente de gerenciamento de produtos do G Suite.

O executivo informou que, a partir de 2 de abril de 2019, o G Suite Basic aumentará em 1 dólar por usuário ao mês; e o G Suite Business aumentará em 2 dólares por usuário ao mês — ou o equivalente em moeda local onde aplicável. “Esses aumentos serão aplicados globalmente com ajustes do mercado local para determinadas regiões. O preço dos clientes do G Suite Enterprise Edition não será alterado”, declarou.

A decisão de ajustar os preços se dá por que, segundo o próprio Google, nesses dez anos de história a companhia triplicou o valor fornecido no G Suite por meio de inteligência artificial, ferramentas de reunião e outros recursos, aplicativos, funcionalidades e benefícios.

Ao mesmo tempo, o ajuste é justificado pelo aumento dos preços da tecnologia como um todo. Do valor de armazenamento aos componentes, passando pela própria “guerra comercial” entre as big techs, tudo subiu de preço, o que faz a companhia se ver obrigada a quebrar esse “jejum de dez anos”.